background

18 de agosto de 2017

FADAS DA ILHA LE MANX – RELATO DE CLARIVIDÊNCIA


Imagem meramente ilustrativa

Nas encostas ocidentais do Snaefell (Europa). Agosto de 1922.

Encontramos uma raça encantadora desse “povinho” quando escalávamos a montanha, a partir de Sulby Glen (é um vale arborizado em Sulby, Ilha de Man, Reino Unido), uma raça que se distinguia, em muitos pontos, dos espíritos da Natureza ingleses. Tendo de dez a quinze centímetros de altura, seu aspecto sugere, em miniatura, homens e mulheres de eras muitos remotas. Ao contrário de seus irmãos do continente, eles se movem calmamente, quase com languidez, pela encosta da colina. Seus olhos, que têm uma expressão suave e sonhadora, são amendoados e estreitos. 

O rosto ostenta um perpétuo sorriso; os traços são bem proporcionados, embora o queixo seja excessivamente recuado. Parece haver representantes de ambos os sexos, as mulheres trajando longos vestidos estampados e coloridos e os homens com vestimentas feitas de um material lustroso, parecido com a seda, predominando uma cor azul escuro de brilho elétrico. Sugerem vagamente um cavalheiro e uma dama do período Stuart, mas suponho que as suas figuras sejam modeladas com base em povos bem mais antigos.

Produzem uma música suave, semelhante ao som de uma flauta, e que, provindo simultaneamente de várias fontes, causa um efeito como que de um gorjeio. Eles dançam e brincam na encosta da colina, que se mostra povoada por um sem-número dessas criaturas.

Ocasionalmente, surgia no meio deles uma criatura que lembrava um pouco um gnomo, embora provida de patas traseiras como as de um animal. Estas criaturinhas não possuem asas e carecem da intensa vitalidade que caracteriza todas as outras espécies de fadas com que nos deparamos. A sua consciência mal chega a influir sobre suas formas; algumas delas dão a impressão de estar caminhando enquanto dormem. São extremamente gentis e cordiais em seu relacionamento mútuo, exprimindo antes Amor, do que alegria. A sua existência é das mais pacíficas e sossegadas, quase como num sonho.

O núcleo vital parece estar localizado exatamente na parte mais estreita do dorso, no ponto de ligação entre os corpos físico e astral, flutuando este um pouquinho atrás e acima daquele. É uma criatura informe cujas cores predominantes são o rosa e o prateado, que apresentam uma intensa luminosidade. Parece estar parcialmente incorporada. Trata-se, provavelmente, de uma raça bastante antiga, a ponto de se encontrar em vias de extinção.


Fonte: Livro O Reino dos Devas e dos Espíritos da Natureza – Geoffrey Hodson. Editora Pensamento.

Bênçãos!
Namastê!



16 de agosto de 2017

ESPÍRITOS DA NATUREZA OBSERVADOS NUMA MISSA CELEBRADA



Harpenden (Inglaterra). 1924.

Durante a celebração da missa, percebi a aproximação de espíritos da Natureza das mais variadas espécies, os quais pairavam numa nuvem grande e radiosa, imediatamente ao alcance das vibrações da cerimônia. 

As criaturas menores – fadas, espíritos das árvores e alguns homúnculos* banhavam-se nesta atmosfera de energia, com movimentos contínuos e graciosos. Os membros superiores e mais adiantados do nosso grupo secreto permaneceram relativamente imóveis, observando e absorvendo as forças que se irradiavam pelo local e contribuíam enormemente para a pureza a a beleza do ofício. Do princípio até a bênção final, eles partilharam a cerimônia conosco, e, ao final, dispersaram-se lentamente, retornando às suas moradas nas árvores, nos trigais, nas sebes e nas flores, levando, de acordo com a capacidade de cada um, um pouco da bênção que tínhamos todos recebido.

Além dessas criaturas fantásticas que se encontravam ao nosso lado na igreja, também marcaram presença as hostes de anjos que estão explicitamente associadas aos ofícios da celebração.**




**Essas entidades foram descritas pelo Reverendíssimo Bispo C.W.Leadbeater em Science of Sacraments (Ciência dos Sacramentos).


Fonte: Livro O Reino dos Devas e dos Espíritos da Natureza - Geoffrey Hodson. Editora Pensamento.

Bênçãos!
Namastê!


13 de agosto de 2017

SABEDORIA DIVINA DA NATUREZA - EP 15 - LAVANDA



EPISÓDIO 15

O episódio de hoje está sendo dedicado a uma planta muito linda e muito poderosa, a Lavanda, seu nome científico é Lavandula pois há várias espécies e subespécies, algumas pessoas dizem que Alfazema e Lavanda são a mesma planta e outras dizem ser do mesmo gênero mas de espécies diferentes, o importante mesmo é a beleza e a função dessas bênçãos que a Natureza nos oferece.

Cresce principalmente nas regiões quentes do Mediterrâneo onde é nativa, encontrada aclimatada e também nativa em diferentes pontos do globo. Desde há muito conhecida e utilizada pela Humanidade.

A lavanda é uma das poucas flores que basta a gente fechar os olhos para seu perfume vir à mente. Pudera, ela contém um dos óleos essenciais mais usados no mundo, base para uma infinidade de cremes, shampoos, amaciantes e outros produtos de beleza e limpeza. 



LAVANDA É CONHECIDA PELO PERFUME E TAMBÉM PODE SER TEMPERO!

Típica da região que vai do sul da Europa ao norte da África, da Arábia e das Ilhas Canárias, a lavanda prefere clima frio, o que a torna resistente até a geadas ocasionais. Graças às modernas técnicas de aperfeiçoamento genético, hoje existem variedades adaptadas ao clima tropical, o que possibilita o cultivo da flor em quase todo o país. Esse melhoramento também possibilitou a criação de lavandas de flores brancas e azuladas, além das clássicas violetas e roxas.


Apesar de ser tão conhecida e de cada vez cair mais no gosto dos brasileiros, pouca gente conhece os usos culinários da lavanda. Se você nunca comeu uma dessas flores, faça o teste em seu próprio jardim (assim, você terá a certeza de não ingerir nenhum pesticida), retirando apenas os grãos de pólen, que são amargos e podem dar alergia. As pétalas têm um gosto adocicado que aromatiza mel, vinhos, sorvetes, vinagres e biscoitos. Por ser da mesma família do alecrim, pode substituí-lo em ensopados e outros pratos – sempre com moderação, porque seu perfume é bem forte e pode comprometer toda a refeição.


Cosmética

Fazer uma água tônica para acelerar a substituição das células nas peles sensíveis e como antisséptica contra acne. Agente de limpeza e tônico para todos os tipos de pele. Recomendável para peles com acne.
Uma decocção de sumo de pepino com lavanda dá uma boa loção de pele.

Utilização

Uso caseiro: Fazer com a flor saquinhos para gavetas (espanta traças), almofadas e até sachês. O infuso das flores esfregado no couro cabeludo livra-o de parasitas; alguns veterinários também utilizam para destruir piolhos e outros parasitas. Moscas e mosquitos também não gostam do seu cheiro, sachês com lavanda afastam os insetos. 

Uso culinário: Flor para aromatizar compotas.



Uso mágico: Na África as flores e folhas são usadas contra maus-tratos maritais. Significa universalmente pureza, castidade, longevidade, felicidade. Dormir sobre ramos de lavanda abranda a depressão. 


Aromaterapia: O óleo essencial é usado para cortes, queimaduras, reumatismo, alergias de pele, queimaduras de sol, dor de cabeça,insônia, problemas inflamatórios, brotoeja, artrite, pelas propriedades bactericidas e antiviróticas. 

Também é eficaz para restaurar a circulação dos pés. O banho perfumado com óleo essencial de alfazema é um excelente tratamento contra a insônia.


Fitoenergética


Atua no equilíbrio físico, mental, e emocional. Anti-estresse, também é usada contra insônia. Incentiva a esperar a hora certa para dizer as coisas, a economizar com equilíbrio em qualquer aspecto; gera paz interior; completa o “Eu” interior; favorece a lidar com muitas coisas ao mesmo tempo sem gerar estresse; ajuda a planejar bem o futuro, criar visão estratégica da vida, ter empreendedorismo, não julgar o próximo, respeitar os limites das outras pessoas.


Como aromatizador de ambientes proporciona paz, relaxamento, e aconchego. Tem o poder de harmonizar qualquer ambiente rapidamente. Por ter essas diversas funções, ela é considerada o "colo da mãe", que acalenta e torna seguro o ambiente. Ideal para restabelecer estados de esgotamento físico e emocional.


Propriedades Medicinais


Diurética, expectorante, sedativa, anti-inflamatória, sudorífica, antiespasmódica, antisséptica, cicatrizante e colerética.

Infusão para dores de cabeça e acalma os nervos. Alivia falta de urina, doenças de baço, câimbras, gota, inapetência, insolação, fraqueza, vômitos, hipocondria, insolação, vômitos. Auxilia na digestão, dores reumáticas, tosses e resfriados, cistites e inflamações das vias urinárias, facilita a produção e eliminação da bile, combate enxaqueca. 

Gargarejo com decocção das flores alivia a dor de dente.

Contraindicações


A essência da lavanda em uso interno deve-se usar com muita precaução, devido a que, em doses altas, pode produzir nervosismo e, inclusive, convulsões. Deve-se evitar uso prolongado. Pessoas propensas a úlceras, não devem exagerar na administração de preparados à base de alfazema.

Em altas doses pode ser depressiva do sistema nervoso, causando sonolência. Em mulheres grávidas deve-se evitar o uso em doses altas por ser estimulante uterino.


Fonte: http://www.ervanarium.com.br/planta/93/lavanda

http://energiadaservas.com.br/propriedades-da-lavanda/

https://terapiasnehana.wordpress.com/2013/11/13/propriedades-das-plantas/

http://achetudoeregiao.com.br/arvores/alfazema_ou_lavanda.htm

http://minhasplantas.com.br/plantas/lavanda/

Colaboração: Tânia Campos e Daniele Schutz.


9 de agosto de 2017

10 ÁRVORES E PLANTAS DE PEQUENO PORTE PARA TER EM CALÇADAS


Ipê Amarelo - Iracemápolis, SP

"Árvores e plantas são itens mais do que necessários nas ruas e avenidas de nossas cidades. Ambas possuem um importantíssimo papel no equilíbrio térmico além de claro, embelezarem e muito o local. Elas colaboram com a redução drástica da poluição, tanto sonora quanto do ar e ainda fornecem sombra, refúgio e alimento para diversos tipos de aves.

Quem pensa que os benefícios param por aí se engana. Há também a produção de oxigênio, proteção contra ventos, fixação de carbono, entre outros fatores. No entanto, a escolha da espécie correta é de extrema importância.

Se você deseja realizar o plantio de uma árvore em sua calçada, o primeiro e mais importante passo é procurar a prefeitura pois a grande maioria delas possui um plano de arborização urbana, que contam com espécies de árvores indicadas por profissionais capacitados. Provavelmente você poderá solicitar o plantio à prefeitura, ou até buscar as mudas você mesmo no viveiro municipal. Porém, é muito importante que você preste atenção na escolha da muda e a realize de forma cautelosa. O plantio da árvore errada poderá provocar muita dor de cabeça e confusão no futuro, como por exemplo: tubulações de água e esgoto estourados; calçadas levantadas; galhos que ameaçam cair a qualquer instante; problemas sérios na rede elétrica; ramos espinhentos que podem machucar pedestres; frutos pesados que podem cair sobre carros… Entre muitos outros problemas extremamente desagradáveis e perigosos. E pior de tudo é que geralmente você não poderá fazer muita coisa.

Na grande maioria das vezes a poda ou corte é permitida apenas à prefeitura e companhia elétrica da cidade. Caso realize o corte sem uma autorização válida, isso poderá lhe render multas pesadíssimas e, dependendo da espécie, ser considerado até mesmo crime ambiental. Para realizar esse tipo de trabalho, será necessário que você solicite o serviço e aguarde a aprovação. Por isso, escolha atentamente a espécie.
Árvores são maravilhosas e para além de toda a vida.

Montamos uma pequena lista com algumas espécies que são indicadas para o plantio em calçadas (a depender da cidade).
As espécies que alcançam até 10 metros geralmente são boas para calçadas com fiação elétrica. Já as maiores, podem ser plantadas em calçadas sem fiação. Confira!"

Ácer – Acer palmatum


Essa espécie é mais indicada para regiões serranas. Ela apresenta pequeno porte, atingindo até 8 metros de altura e suas folhas variam conforme as estações.


Escova-de-garrafa – Callistemon spp

São árvores de pequeno porte, nativas da Austrália. São muito resistentes à secas e possuem uma floração exuberante e atrativa.


Eritrina-verde-amarela – Erythrina variegata

Essa linda árvore tropical possui florescimento ornamental e uma folhagem espetacular. Pode ser conduzida como arbusto ou arvoreta mas se não tratada na poda, alcança até 12 metros.


Árvore-da-china – Koelreuteria bipinnata

A beleza dessa árvore é simplesmente incrível. Floresce no outono, despontando inflorescências eretas com flores amarelas, que em seguida são tomados por frutos papiráceos e duráveis, de cor salmão. É uma espécie para clima subtropical e atinge até 12 metros. Por tal motivo, são indicadas para calçadas sem fiação.


Resedá – Lagerstroemia indica

Essa arvoreta é amplamente utilizada na arborização urbana. O seu florescimento é esplendoroso e apaixonante. É uma espécie decídua e tolerante a podas radicais. Atinge até 8 metros de altura.


Magnólia – Magnolia spp

As magnólias são extremamente belas e perfumadas. Muito interessantes para arborização urbante devido seu pequeno porte. São plantas próprias para o clima subtropical e temperado e alcançam de 5 a 10 metros de altura.


Pau-fava – Senna macranthera

Essa árvore nativa e de pequeno porte é uma boa aposta na arborização urbana, pois possui floração ornamental de aspecto elegante. Atinge até 8 metros de altura.


Manacá-da-serra-anão – Tibouchina mutabilis

Esta é uma belíssima arvoreta em que é possível admirar e se apaixonar por suas flores em três cores diferentes simultaneamente: branca, rosa e roxa, de acordo com a idade da flor. Atinge até 6 metros de altura. Ideal para o plantio na cidade.


Ipê-de-jardim – Tecoma stans

Arvoreta linda de floração exuberante e ideal para calçadas. Sua florada é amarela e duradoura. Atinge até 7 metros de altura. Sua floração aparece entre os meses de janeiro e maio.


Alfeneiro – Ligustrum lucidum

Essa é uma das espécies mais cultivadas na arborização urbana do Sul do Brasil. A espécie oferece boa sombra. No entanto, a floração de muitos exemplares ao mesmo tempo pode intensificar radicalmente os casos de alergia à pólen.


-------

É possível também usar uma variedade de coníferas, que apesar do formato (geralmente cônico a colunar) são escolhas bem interessantes para uso em calçadas largas.

As palmeiras (com exceção óbvia das espinhentas e as de porte gigante) são muito indicadas e utilizadas para ornamentar ruas e avenidas.

A diversidade de árvores que podem ser utilizada para essa finalidade é enorme e você pode acabar gostando justamente de espécies que viu em algum lugar.

As principais características que uma árvore para arborização urbana deve ter são:

- Não ser invasora
- Não ser tóxica
- Não possuir espinhos
- Não ter frutos ou flores grandes
- Não possuir raízes superficiais ou agressivas
- Não possuir madeira frágil, suscetível à quebra ou ataque de cupins (evite árvores de crescimento rápido)
- Não ser de grande porte (acima de 20 metros de altura)

Surgiu a empolgação para o plantio por aí? Então bora colorir a rua!

Fonte: https://blog.plantei.com.br


Bênçãos!
Namastê!


7 de agosto de 2017

SÉRIE PLANETA TERRA UM SER EM REDENÇÃO - TRIGUEIRINHO



Saudações Dévicas! Decidi acrescentar essa página ao blog em especial devido a riqueza de informações e sabedoria nesses sete (7) vídeos da série completa. Trigueirinho, com sua firmeza e amorosidade vem nos elucidar sobre diversos assuntos, quando conhecemos e compreendemos certos assuntos passamos a olhar de um ângulo diferente, é isso que proponho aqui, estimular você leitor/ouvinte a conhecer essa série maravilhosa, e se você já conhece tem agora a oportunidade de reouvir mais uma vez.

Segue abaixo os vídeos do canal Led Lemos que teve a generosidade de compartilhar ao público as partilhas. Profunda Gratidão! E ao Trigueirinho e toda a equipe, por tanto Amor e Sabedoria. Gratidão!


Trigueirinho - Planeta Terra um ser em Redenção #1

Revelações sobre os reinos da Natureza e a função do reino humano no processo planetário / O carma do sofrimento produzido pelo reino humano é repartido por toda a humanidade / O planeta poderá ser redimido da violência que os reinos recebem, à medida que for surgindo no coração humano amor pela Natureza / Metas a serem assumidas pelo reino humano




Trigueirinho - Planeta Terra um ser em Redenção #2

As funções ocultas da água, do ouro e dos cristais / O que representa um oceano / As consequências, no planeta, pela matança dos povos indígenas / Desastres ambientais / O trabalho sutil dos cristais com as naves extraterrestres


Trigueirinho - Planeta Terra um ser em Redenção #3

A colaboração de videntes nas revelações sobre o Reino Vegetal / Árvores, canais de energias do Alto / O Umbu, o Cipreste da Califórnia e a Castanheira da Índia / A cruz do Reino Vegetal diante da devastação feita pelo homem / Vegetarianismo e Ocultismo / Os riscos dos alimentos transgênicos / O simbolismo das sementes


Trigueirinho - Planeta Terra um ser em Redenção #4

Um Reino da Natureza a ser melhor compreendido / A domesticidade em contraste com a selvageria de alguns animais / O trabalho oculto dos pássaros / A presença das baleias e o que representam / Elefantes e suas qualidades / Golfinhos e a alegria / Nossa responsabilidade diante da situação do Reino Animal na Terra / As falas de uma Iniciada


Trigueirinho - Planeta Terra um ser em Redenção #5

Humanidade, forma de vida disseminada pelos universos / Tipos de humanidade existentes na Terra / Homem comum, homem evoluído e homem contato / A raça atual, os cinco sentidos humanos e seus desdobramentos nos vários níveis da consciência / Homem interno, homem divino e raças futuras


Trigueirinho - Planeta Terra um ser em Redenção #6

O Reino Dévico e sua importância na manifestação da vida formal / O deva e seu elevado grau de pureza / A circulação de energia no universo a cargo dos devas / Formas que se mantêm coesas pelos devas / Elementais, espíritos naturais que podem completar o trabalho dévico / Música divina / Informações que nos levam à compreensão de fatos desconhecidos pela maioria


Trigueirinho - Planeta Terra um ser em Redenção #7

Os princípios divinos de pureza que os Reinos da Natureza guardam / O mundo sofre por falta de amor fraterno entre os reinos e os homens / O valor de estar polarizado no bem / O reino que mais sofre / O mistério da nossa relação com o planeta


Conheça também o site da Editora Irdin onde você encontra um material riquíssimo, incluindo palestras, livros, áudio livros, músicas, e DVD's.

Conheça também o canal no Youtube do Espaço Religare, onde você encontra uma playlist com mais de 200 palestras do Trigueirinho.

Gratidão!
Bênçãos!

Namastê!

6 de agosto de 2017

SABEDORIA DIVINA DA NATUREZA - EP 14 - LOURO



EPISÓDIO 14

O episódio de hoje está sendo dedicado ao querido Louro, ou Loureiro, é uma planta originária do Mediterrâneo, seu nome científico é Laurus nobilisAs suas folhas com aroma forte são utilizadas na culinária e na medicina alternativa. Utilizam-se frescas, secas ou em pó.

O Telhado do Templo de Apolo, em Delfos, era coberto de folhas de loureiro para o proteger da doença, da feitiçaria e dos relâmpagos.

É uma planta conhecida desde a Grécia antiga. Para os Romanos, o loureiro era o símbolo da sabedoria e da glória. Eram feitas coroas com as folhas e entregues aos vencedores de competições como símbolo de vitória. A palavra “bacharelato” vem do latim “baccalaurus”, o que quer dizer "formando coberto de louros".

O Louro é símbolo da poesia, das letras e do sucesso. Traz proteção e sabedoria.


Fitoenergética


Elimina energias densas de origem espiritual, cria um forte campo energético espiritual, traz a força da energia divina para purificar os campos de energia e os ambientes em geral. Traz a força de Deus para o mundo físico.

Como preparar o chá?

• 4 folhas de louro;
• 500 ml de água.

Modo de preparo

1. Ferva a água em uma chaleira ou leiteira.

2. Quando levantar fervura, desligue o fogo e adicione as folhas de louro e deixe descansar por 10 minutos.

3. Em seguida, sirva em uma xícara e beba. Este mesmo chá pode ser servido duas vezes. Recomenda-se uma vez pela manhã e outra pela noite.

Técnica do benzimento

- Benefícios da técnica de benzimento:

Abrir caminhos, eliminar a energia negativa da sua aura e remover confusões mentais e indecisões.

Melhoria da saúde física e do estado espiritual.

- Materiais para fazer o Benzimento:

Você irá precisar de coisas muito simples para praticar esse exercício:

Um lugar calmo e silencioso;
Uma cadeira ou poltrona para sentar-se;
3 folhas de louro (desidratado ou verde, tanto faz).

- Passos para fazer o benzimento – cura da alma com as ervas:

1 – Procure um lugar calmo e tranquilo. Tenha certeza que não sofrerá interrupções. Então faça uma oração rápida de agradecimento e conexão com Deus, da sua forma e do seu jeito.

2 – Sente-se na cadeira confortavelmente, respire profundamente algumas vezes e relaxe.

3 – Pegue as três folhas de louro na sua mão direita e segure-as com tranquilidade.


4 – Agora concentre-se em imaginar, visualizar ou acreditar que no centro da sua testa se forma um ponto de luz prata.  Simultaneamente imagine, acredite ou simplesmente sinta que na região do seu coração forma-se um ponto luminoso verde. Então sustente a crença ou a visualização desses dois pontos acesos. O ponto prata na sua testa e o ponto vede no seu coração. Fique sustentando a visualização dessas duas luzes.

5 – Pegue apenas uma entre as 3 folhas de louro. Encoste com suavidade na sua testa no ponto da luz prata. E diga:

Eu conecto a minha mente  com a mente de Deus. Eu me conecto com a sabedoria de Deus. Eu sou a sabedoria de Deus em ação para o bem maior.

Fique assim por 30 segundos e depois coloque a folha de louro usada de lado.

6- Pegue uma segunda folha de louro. Encoste com suavidade no seu peito no ponto da luz verde do seu coração e diga:

Eu conecto o meu coração com o coração de Deus. Eu me conecto com a o amor  de Deus. Eu sou o amor que de Deus em ação para o bem maior.

Fique assim por 30 segundos e depois coloque esta segunda folha de louro usada de lado junto com a primeira.

7- Pegue a terceira e última folha de louro e agora segure-a entre as suas duas mãos que devem estar em forma de prece postadas a frente do seu estômago.

Então imagine, sinta ou acredite, que as luzes verde e prata que antes estavam no seu coração e testa, agora pulsam na suas mãos em prece. Então, sinta, imagine ou acredite, que as luzes verde e prata pulsam com suavidade como um coração.  E elas se alternam, pulsando verde e prata, verde e prata, verde e prata. Quando o verde fica fraco, o prata fica mais forte. Quando a luz prata fica mais fraca o verde fica mais forte e assim ciclicamente.

8 – Quando você sentir que as luzes verde e prata pulsam automaticamente entre as suas mão postadas em forma de prece, unidas com a folha de louro, apenas diga mentalmente:

Eu me entrego a força da verdade da minha alma… EU me entrego a energia maior de Deus… EU me entrego a cura da natureza sobre mim e tudo que me envolve.

Obrigado, obrigado, obrigado!

9 – Fique assim por aproximadamente um minuto, mantendo os olhos fechados e a concentração no pulsar da luz verde e prata.

10 – Então desperte com suavidade . Pegue as 3 folhas usadas na prática e descarte em um jardim ou vaso, expressando sua gratidão.

Benzimento: Importante!


Notas importantes sobre a técnica de bezimento e cura da alma com a fitoenergia:

- Não existe contra indicação;
- Não provoca qualquer tipo de reação negativa;
- Pode ser feita até 3 x por semana;
- Pode ser ensinada para outras pessoas;
- Se você não conseguir visualizar as luzes verde e prata, mas acreditar com força e entrega, vai funcionar igualmente;
- Você não precisa ter nenhum dom especial e não precisa ser expert em nenhuma filosofia para fazer essa prática.
- Pode e deve ser usado qualquer tipo de problema, seja ele físico, mental, emocional ou espiritual.
- Tanto faz usar louro desidratado ou fresco.

Já queimou folhas de louro alguma vez?

Há uma outra ótima função para absorver os benefícios da folha de louro – você pode queimá-las com um fósforo de preferência. Este fogo intenso vai funcionar muito mais rápido do que fogo brando para liberar os compostos ativos das folhas de louro.

Pegue uma folha seca e coloque-a em um cinzeiro ou qualquer outro lugar seguro para queimá-la, longe de produtos inflamáveis, seja responsável.

Ao queimá-las e inalar o cheiro (não a fumaça diretamente), você se abre para uma série de benefícios impressionantes. Aqui estão dois benefícios.

Benefício # 1 – Redução da ansiedade

A folha de louro contém um composto chamado linalol. Um estudo da American Association of Nurse Anesthetists descobriu que o linalol diminui a ansiedade e aumenta a interação social.

Em menos de 10 minutos após sentir o cheiro da folha de louro em chamas, o linalol começa a trabalhar.

Benefício # 2 – Alívio respiratório

Folhas de louro contêm mirceno e eugenol. Ambos os compostos possuem excelentes propriedades anti-inflamatórias e são, de fato, muito utilizados em terapia de redução de tensão.

Quando você queima uma folha de louro, estes compostos se espalham pelo ar. Uma vez inalados, eles vão reduzir qualquer inflamação respiratória. Isso pode fazer maravilhas se você sofre de alergias ou tem um forte resfriado.

Quando queimadas de forma correta, as folhas de louro liberam os seus benefícios muito rapidamente.


Propriedades Medicinais


Graças aos benefícios e propriedades do louro, muitos são seus usos medicinais. Comumente, é utilizando como diurético, estimulante de apetite e também adstringente.

Pode também aliviar cólicas, dores no estômago e eliminar flatulências.

Além disso, o óleo essencial presente nas folhas de louro é extremamente eficaz para tratar dor musculares, bronquites, artrite e outras mazelas relacionadas.

As folhas de louro também são eficazes como repelente natural de insetos por possuirem altas quantidades de ácido láurico.

A vitamina A presente no louro é fundamental para a visão, cabelo e pele. Portanto seu consumo tratará problemas degenerativos oculares e também envelhecimento precoce.

Por ser um poderoso antioxidante, o louro é um agente eficaz na prevenção e luta contra determinados tipos de câncer.

O ácido fólico do louro é responsável por auxiliar a correta formação do DNA, portanto seu consumo regulado por um médico pode ser incrivelmente benéfico para o desenvolvimento do feto.

Ajuda também a melhorar a produção de células sanguíneas por possuir minerais essenciais como o manganês, ferro, cálcio, cobre, magnésio e zinco.

É possível listar seus usos medicinais da seguinte maneira resumida:

• Alivia cólicas e indisposições gastrointestinais
• Alivia dores musculares e de cólica
• Age como diurético
• Previne gripes e resfriados
• Previne e elimina flatulências
• Trata problemas de úlcera estomacal
• Estimula o apetite
• Previne casos de câncer
• Melhora a produção de células sanguíneas
• Auxilia no desenvolvimento adequado do DNA
• Melhora a saúde dos olhos, cabelo e pele
• Pode ser utilizado também como repelente natural

Contraindicações


É importante que não sejam consumidas mais do que 4 folhas de louro diariamente, sob risco de hiperdosagem e intoxicação.

O louro pode causar sonolência e ser prejudicial àqueles que possuem sensibilidade no estômago, quando consumido em excesso. A planta e seu consumo estão contraindicados para gestantes ou mulheres em fase de lactação.


Fonte: GIMENES, Bruno J. Fitoenergética – A Energia das Plantas no Equilíbrio da Alma. 6ª ed. Nova Petrópolis: Luz da Serra Editora, 2012.

http://www.luzdaserra.com.br/ervas-que-curam-a-alma-como-fazer-um-auto-benzimento

https://www.greenme.com.br/usos-beneficios/4549-louro-beneficios-usos-cha

https://www.remedio-caseiro.com/beneficios-do-cha-de-folha-de-louro-para-saude/

http://plantaseervasaromaticas.blogspot.com.br/2010/02/louro-e-as-suas-propriedades.html?m=1

Colaboração: Tânia Campos e Daniele Schutz.

Bênçãos!
Namastê!


4 de agosto de 2017

ELFOS DA FLORESTA E ELFOS À BEIRA-MAR – PEQUENO RELATO



Dois delgados espíritos da floresta vieram correndo pelo terreno atrás de nós, quando estávamos sentados em um tronco de árvore caído. Vendo-nos, pularam cerca de cinco pés para trás e estacaram olhando-nos com grande interesse e sem temor algum. Pareciam como que inteiramente cobertos por uma coleante pele inteiriça, como que brilhando de umidade, e com um colorido semelhante ao da casca de uma faia. Havia grande quantidade destas figuras correndo pelo terreno. Suas mãos e pés eram grandes, bem desproporcionados em relação ao resto do corpo. Suas pernas eram finas, suas orelhas levantadas e embicadas, quase em forma de pêra. O nariz era embicado, também, e a boca larga.

Não tinham dentes nem as estruturas internas da boca — inclusive língua, pelo que pude ver — exatamente como se o conjunto fosse constituído de uma peça de geléia etérica. 

Uma pequena aura verde os rodeava. Os dois por mim observados especialmente, vivem nas raízes de uma enorme faia. Desapareceram, por fim, através de uma fenda na qual penetraram tal qual a gente entraria em uma caverna, e mergulharam no subsolo, para emergir no duplo etérico da árvore.

----------------------------

Brincando na costa, entre as algas e as pedras, existem pequenas e esdrúxulas formas parecidas com a do elfo. Têm cabeças desproporcionais, faces de elfos, orelhas grandes, corpos redondos e curtos, pernas finas terminando em pés que quase parecem palmados. São de três a seis polegadas de altura (7 a 15cm), estão familiarizados com os seres humanos, e de maneira alguma se perturbam com a presença destes. Aparentemente estão relacionados com a vida e os processos celulares das algas.


Fonte: Livro O Reino dos Deuses – Geoffrey Hodson. Editora PENSAMENTO - São Paulo.
Título do original em inglês: The Kingdom of the Gods - Theosophical Publishing House, Adyar, Madras 6000 20, Índia.


2 de agosto de 2017

13 PLANTAS PARA CULTIVAR DENTRO DE CASA - PAISAGISMO E HARMONIA



Olá! Saudações dévicas! Nesse post estão reunidas algumas plantas que se dão super bem dentro de casa, oferencendo assim o frescor da Natureza e sua Energia transmutadora para qualquer ambiente, resistindo a diversos fatores se forem bem cuidadas.

*******

1. Cróton


Esta espécie chama a atenção por suas folhas coloridas e grandes. Brilhantes e um pouco retorcidas, elas surgem em tamanhos variados e podem mesclar tons de vermelho, roxo, rosa, branco, amarelo, verde ou laranja, formando lindas combinações. A folhagem exuberante somente será mantida se a planta receber bastante sol direto. Por isso, posicione o vaso próximo a uma janela. Dicas importantes: ela não se adapta a locais com ar condicionado; ao manipular a planta, utilize luvas, pois sua seiva pode provocar irritações na pele.

2. Orquídea



Quem nunca comprou ou ganhou de presente um vaso desta planta? Campeã no uso interno, ela pede poucos cuidados. Uma das espécies mais comuns é a falenópsis, cujas flores arredondadas variam entre o branco, o rosa, o amarelo e a púrpura. Por ser bastante delicada, é melhor escorar sua haste com um tutor. E vale a pena substituir os vasos de plástico pelos de barro, pois são porosos e drenam melhor a água. Deve ser cultivada à meia-sombra, recebendo iluminação indireta. Preste atenção na coloração da folhagem: se estiver escura, mude a orquídea de local.

3. Palmeira-leque


(Foto: Edu Castello/Editora Globo)

Por apresentar um crescimento lento, é ótima para o cultivo em vasos. Mas é preciso colocá-la em ambientes amplos e bem iluminados. Suas folhas grandes, plissadas e com margem dentada, em um lindo tom de verde brilhante, chamam a atenção de quem passa. Para mantê-la saudável, remova as folhas velhas e secas e adube a espécie durante o verão. O reenvase a cada dois anos também faz parte dos cuidados necessários. Proteja-a de ventos fortes e do aparelho de ar-condicionado.

4. Samambaia

(Foto: Lufe Gomes/Editora Globo)

De coloração verde-clara, apresenta folhas longas e pendentes, que costumam formar touceiras volumosas, demonstrando sua bela textura. Para tirar proveito dessas características, plante-a em vasos suspensos ou em um local alto. A iluminação ideal para cultivá-la é a meia-sombra, mas ela também gosta de receber iluminação difusa. O vento é um dos seus maiores inimigos, pois acaba queimando as folhas mais jovens.

5. Suculentas



São plantas que apresentam raiz, talo ou folhas engrossadas, característica que permite o armazenamento de água durante períodos prolongados. Bastante fáceis de cuidar, elas costumam “avisar” do que precisam, basta prestar atenção aos detalhes. Se as folhas começarem a murchar, aumente gradativamente a quantidade de água; se as folhas da base começarem a apodrecer, diminua. Se ela ficar fina e perder muitas folhas, não está recebendo a quantidade necessária de luz. O ideal é proporcionar pelo menos quatro horas diárias de sol para que elas sobrevivam com saúde.

6. Iuca

(Foto: Leonardo Finotti/Editora Globo)

Com aspecto escultural, apresenta folhas longas, rígidas, pontiagudas e com bordas serrilhadas. Como em algumas palmeiras, as folhas mortas podem demorar a cair, formando uma saia sob a copa. Se envasada ainda jovem, adapta-se bem ao ambiente interno. Cuide somente para posicioná-la em um local com bastante claridade e ventilação. Depois de bem estabelecida, torna-se extremamente resistente. É importante evitar o excesso de água, pois provoca o apodrecimento das raízes.

7. Árvore-da-felicidade

(Foto: Evelyn Müller/Editora Globo)


Acredita-se que a presença dela na casa traz harmonia e sorte, mas para isso é preciso ganhar um exemplar de presente. Há quem acredite também que as boas energias são garantidas somente quando plantadas no mesmo vaso as duas variedades: a macho e a fêmea. Apresenta folhas pequenas, delicadas e de cor verde-escura. Para mantê-las bem escoradas, utilize tutores de madeira. Aceita sol pleno, meia-sombra ou luz difusa, mas ficará mais viçosa e cheia em áreas bem iluminadas. Atenção: ela não tolera fumaça de cigarros, ar condicionado ou vento em excesso.

8. Zamioculca

(Foto: Edu Castello/Editora Globo)
É um excelente curinga para corredores e locais com baixa luminosidade natural, onde outras plantas dificilmente sobreviveriam. Destaca-se pela beleza de suas folhas super brilhantes, com o aspecto de cera, em tom de verde bem escuro. A espécie é tão resistente que continua linda mesmo em ambientes com ar condicionado. Mas tome muito cuidado com a quantidade de água: é preferível deixá-la passar sede do que regar em excesso.

9. Lança-de-São-Jorge




Com folhas cilíndricas, rígidas e verticais, tem um visual bem ornamental. É muito resistente e adora ambientes internos à meia-sombra, mas também vai bem quando cultivada sob sol pleno e luz difusa. Pede pouca água e suporta ambientes com ar condicionado. Pode ser trançada, ganhando um aspecto ainda mais interessante. Como as folhas são pesadas, vale escorá-las com um tutor.

10. Peperômia

(Foto: Marcelo Magnani/Editora Globo)

Folhagem pendente muito ornamental, de aspecto delicado. Suas folhas são suculentas e em formato de coração, geralmente em tons de verde com bordas amareladas ou brancas. Ótima para o plantio em jardins verticais ou vasos suspensos. Deve ser cultivada à meia-sombra e aguenta até iluminação com luz florescente, sendo uma boa opção para escritórios.

11. Ciclanto

(Foto: Victor Affaro/Editora Globo)

Seu caule é quase inexistente, já suas folhas são exuberantes: grandes, largas e com aspecto amassado. Vai super bem em ambientes internos à meia-sombra e não precisa de vasos muito fundos. A umidade é essencial para essa espécie. Uma boa dica é proteger o solo do vaso com casca de pínus, para diminuir a evaporação da água de regas.

12. Cacto




Ótima opção para quem não tem tempo ou jeito para cuidar de plantas, a espécie gosta de muitas horas de luminosidade direta e pouca água. Quanto mais sol seu cacto receber, mais robusto e bonito ele ficará. Quando plantado em vasos, ele estaciona seu crescimento ao perceber que o espaço acabou.

13. Camedórea-elegante

(Foto: Luis Gomes/Editora Globo)


Esta palmeira de pequeno porte é super charmosa e uma ótima opção para decorar ambientes internos bem iluminados, mas com luz difusa. A incidência de sol direto pode queimar suas folhas, que são longas e brilhantes. Evite cultivá-la em ambiente com muito vento ou aparelho de ar-condicionado. Fique atento às folhas amareladas ou com pontas secas pois evidenciam a carência de umidade.

*******

Eu (Leony) também recomendo a Espada de São Jorge, de porte pequeno, necessitando de pouca luz e pouca água, porém não deixe de regá-la, um dia sim e outro não. É ótima para proteção e transmutação energética do local onde estiver.


*******

DICAS ÚTEIS

+ A quantidade de regas varia de acordo com a espécie, a época do ano e o local de cultivo. Uma boa maneira de descobrir a periodicidade ideal é afundar um pouco o dedo na terra. Se ainda estiver úmida, espere mais uns dias. Caso esteja seca, é sinal de que chegou a hora de regar. E lembre-se de que a água deve ser colocada sempre na terra, não sobre as folhas.

+ Para obter um solo bem drenado e bom para o cultivo de grande parte das espécies, misture duas partes de areia para uma parte de terra adubada. E evite deixar a terra encharcada, porque a umidade excessiva apodrece as raízes.

+ Também é importante não mudar os vasos de lugar. Se for realmente preciso, faça isso de forma lenta e gradual, para que a espécie consiga se adaptar novamente. Uma mudança repentina pode ocasionar uma queda drástica de folhas.

+ Crie o hábito de passar um pano úmido nas folhas para retirar o pó e deixá-las mais bonitas. Ao descartar uma folha ou um galho seco, passe um pouco de canela em pó no local do corte. O ingrediente é um cicatrizante natural e impede a entrada de fungos e doenças.

Fonte: http://revistacasaejardim.globo.com/Casa-e-Jardim/Paisagismo/noticia/2016/05/13-plantas-para-cultivar-dentro-de-casa.html

04/07/2017 - 12H40 - TEXTO | STÉPHANIE DURANTE

Bênçãos!
Namastê!